O roubo da vaga

  1. post sobre a vaga roubada por um pm

Texto produzido por Isabela – Ubá

PM o bicho papão

É fácil perceber que, desde novos, as pessoas são ensinadas a respeitar os policiais. Frases como “vou te mandar de camburão’’, “quando eles passarem, se me desobedecer, você vai junto” e “se te levarem eu não visito na cadeia” marcaram a infância de quase todo mundo. Mesmo com todo esse temor, ainda tem gente que deseja, ou não, vê se a realidade é essa mesma. Por isso, segue assim o papo de hoje!

Bendita Vaga

Dias desses presenciei um momento que me deixou pensativa. Estávamos fazendo um passeio em família e, como o lugar estava cheio, haviam poucas vagas para estacionar o possante. Como eram dois carros, meu tio aguardava um carro que estava saindo enquanto eu e um paisano acompanhávamos a cena do outro carro. Assim que o garoto tirou o carro da vaga, um sedan com um homem alto acabou entrando na frente e irritou meu tio.

Como este tem um sangue quente pensei que ia dar B.O. Mas ai a história teve outro rumo.

Meu tio, que na minha cabeça seria o vilão do ocorrido, acabou sendo vítima. Na mesma hora, um policial, por puro abuso de poder, arrancou da carteira o distintivo simbolizando que, por ter tal objeto, poderia “roubar’’ a vaga de quem esperava, pela ética, na fila.

Polícia, difícil profissão

Entendemos que não é fácil ser polícia. Que é difícil ser aprovado, passar nos exames, se arriscar nas missões, enfrentar bandidos e assaltantes em prol da segurança. Mas é importante entender os limites que isso tem, haja vista que, no fundo, respeito é algo como a terceira Lei de Newton (ação e reação de mesma intensidade, mesma direção, sentidos opostos e em corpos diferentes).

A mesma agressão (não literalmente falando) que todos lutam para acabar é a mesma que muitos usam no dia a dia. Mais uma vez digo que não são todos. São sujeitos como esse do dia da vaga, que acabam fazendo muitas pessoas tomarem pavor do trabalho das pm’s e assim não dando o devido valor para os mesmos.

Resumo da ópera

Como eu me acostumei terminar escritas fazendo propostas, digo que a Polícia deveria passar por uma reformulação daquilo que é mais básico, porém essencial. Exemplo claro é a forma como devem se portar frente aos causos do cotidiano, a fim de não despertarem o “ódio” e as falácias da sociedade.

Destarte, aqui vai mais um ponto de destaque desta profissão: agir pela população e com a mesma.

Agora aqui escrevendo tive uma idéia: se o meu tio tivesse dito um “QSL, fique com a vaga”, talvez o “homi” deixasse a vaga pra lá!


GOSTOU DO TEXTO? NÃO PERCA TEMPO, CURTA AS NOSSAS PÁGINAS NO FACEBOOK E TAMBÉM NO INSTAGRAM @queroserpolicia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *