Estereótipo Policial

capa do post do estereótipo policial

Estereótipo: policiais são vítimas também!

Segundo o dicionário, estereótipo é “uma ideia, conceito ou modelo que se estabelece como padrão.” Uma segunda definição que se encaixa ainda melhor ao contexto diz que estereótipo é “uma ideia ou conceito formado antecipadamente e sem fundamento sério ou imparcial”.

Sim! Assim como em outras profissões, existe enraizada na sociedade o estereótipo do policial. Uma grande parcela da sociedade tem a ideia de que o policial militar é o “homem” (ainda existe a visão de que é uma profissão masculina) forte, bruto, agressivo, mal educado e “burro”, isso mesmo, ignorante, desprovido de inteligência, sem conhecimentos.

Realmente existem policiais com esse perfil ou com uma ou outra característica da visão explicitada acima sobre a classe. No entanto, essa ideia não corresponde à realidade da maioria dos policiais, talvez o fosse em um passado não tão distante.

Nesse momento, para exemplificar o que estou dizendo, vou narrar uma situação. O SD JUCA, sim, Juquinha, ele mesmo… Pois bem, ele estava em uma blitz e abordou uma mulher “aparentemente” de classe média, a mesma estava sem os documentos de porte obrigatório, o carro foi apreendido. A mesma se irritou e entre tantas frases tentando atingir JUCA, ela disse: “Você é um pobre coitado, que não estudou e não conseguiu nada na vida, por isso resolveu virar polícia”.

Tudo bem que foi uma frase dita no calor da emoção, mas é algo que boa parte da sociedade pensa e reproduz. Há quem pense que a pessoa se tornou policial militar por falta de opção. Há quem pense também que o policial não estuda, não detém conhecimento. No entanto, existem policiais dentro da Corporação que estão estudando a graduação e até mesmo doutores. Nas mais diversas áreas: Engenharia, Enfermagem, Administração, Direito, Medicina, Psicologia, Contabilidade, entre outras. Há quem pense que o policial para ser um bom profissional, precisa ter força física, mas não necessariamente, o policial necessita ter prioritariamente: técnica! Para assim lidar com as mais diversas situações e para utilizar corretamente as “ferramentas” de trabalho. Há quem pense que o policial é grosso, agressivo, existem policiais que agem dessa forma, mas não é a regra hoje em dia.

Se eu pudesse dar um recado aos policiais, eu diria:

Policial, você não deve estagnar, deve buscar sempre o conhecimento, crescer intelectualmente e profissionalmente. CONHECIMENTO É PODER! O VERDADEIRO PODER. Você, policial, deve buscar polir sua conduta no tratar da sociedade, sempre que for possível agir com educação e gentileza. Você, policial militar, nas suas ações diárias e na sua vida, é responsável por quebrar com esse paradigma e aos poucos ir desmistificando a ideia de que o policial é o inimigo da sociedade e que a sociedade é a inimiga a ser combatida pelo policial. Os tempos são outros, a polícia é outra.

Se eu pudesse dar um recado à sociedade (personificando a sociedade), eu diria:

Sociedade, o policial é humano, é de carne e osso como você, tem uma vida fora da polícia e deseja viver. Sociedade, o policial nem sempre pode agir com cortesia e educação, às vezes há alguma situação delicada e de tensão e ele necessita agir com mais rigor e força, para assim manter a ordem pública e também para voltar para casa. Sim, sociedade, o policial tem uma casa, tem uma mãe, uma esposa ou até um filho. Sociedade, não julgue o todo por um ou dois casos isolados, não reproduza a imagem estereotipada, não absorva a visão negativa amplamente divulgada pela mídia, se apegue também aos bons exemplos e as experiências boas, leve para frente também as boas ações policiais. Afinal, sociedade, você se vê um semana sem a polícia militar nas ruas?

Comments

  1. By Nascimento

    Responder

  2. By ALDIR IVO EHLE NODARI

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *