Polícias do Reino

polícia do reino atual

Estórias do reino

No século XIV, em um país muito, muito, mais muito distante mesmo, havia algumas polícias que eram responsáveis pela segurança interna do reino, entre elas, a Polícia Militar.

Tal instituição era muito criticada. Vejamos:

Diziam que essa corporação era muito preconceituosa, mesmo tendo em suas fileiras diversos negros que entravam mediante concurso e não indicação. Afirmavam que eles cometiam uma pandemia de homicídios em desfavor de jovens negros, isto porque, tal polícia tinha prazer de atirar em negros, mas quando eram alvejados por brancos ela não respondia, afinal de contas, gostavam de tomar tiros de brancos. Talvez, não doesse ou matasse. Sei lá.

A carceragem do reino

Falavam também que essa polícia prendia apenas negros. Neste país, 53% da população considerava-se negra ou parda e 67% da população carcerária era constituída desta cor de pele. Ok, há uma desproporcionalidade, mas desconsideravam aspectos históricos, quando os negros receberam tardiamente carta de alforria e foram “jogados” na sociedade, sem moradia, trabalho, empurrados para altos de morros, etc. Sim, tal polícia é responsável por todo esse preconceito, que não passava pelo Judiciário, afinal de contas, tais presos não eram julgados e condenados. As prisões dessa polícia não representavam o extrato social desfavorável e sim, apenas, unicamente, preconceito de trabalho.

Havia também uma outra polícia chamada Polícia Federashion, que estava no noticiário da época todos os dias. Essa polícia sempre prendia diversos brancos por crimes do colarinho branco (?), mas ninguém nunca os acusou de preconceito ariniano ou um nazismo às avessas. Vai saber, né?

A mídia do reino

Enfim, nas trocas de informações através dos aplicativos de mensagens mais avançados da época – pombos correios – sobejavam textos dos especialistas da PSU, conceituada universidade que continuamente atacava a forma de agir da Polícia Militar do reino distante. Assim, difundia-se cada dia mais a ideia de uma polícia despreparada, preconceituosa, enquanto grupos paralelos ao Estado eram crescentemente citados como “organizados”, “especializados”, “expandiram seus negócios” entre outros adjetivos. É muito difícil entender a quem interessava o enfraquecimento daquele longínquo reino.

Ainda bem que essas coisas não acontecem por aqui…


Leiam, comentem e compartilhem nosso post. Curtam também as nossas páginas do FACEBOOK  e também no Instagram (@queroserpolicia).

Comments

  1. By Gustavo

    Responder

  2. By Surubim

    Responder

  3. By Luíza Helena

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *