Resiliência de um guerreiro

post sobre a resiliência dos guerreiros militares

Resiliência e crença para chegar

Facilmente, você encontrará nos dicionários o conceito de resiliência como sendo: “Propriedade de um corpo de recuperar a sua forma original após sofrer choque ou deformação. Capacidade de superar, de recuperar de adversidades”. Pois é, parece simples não é? Mas será que esta capacidade de restauração pode ser treinada? Tenho convicção que sim!

O homem ou mulher resiliente nunca se dá por vencido; mesmo nos momentos em que ninguém mais teria esperança que as coisas dessem certo, ele continua acreditando; e no contexto em que nada está dando certo e o comum seria se abater, ele não desiste. Diante disso, nada melhor do que tratarmos aqui sobre esta qualidade fundamental para os agentes de segurança pública, que comumente se vêm em situações que têm que lutar por suas vidas ou pela de terceiros, mesmo em situações adversas.

Nas minhas “andanças” por textos policiais (livros, internet …) já li muitas coisas sobre automotivação ou mesmo resiliência mental. Não acredito que este assunto seja tão fácil de tratar, até porque cada pessoa tem uma história e cada história tem seus problemas, mas nessa busca por conhecimento consegui montar algumas estratégias para exercitar a resiliência, principalmente nos momentos de crise. Me acompanhe:

Primeiro: nunca tente resolver um problema grande de uma vez só. Fragmente-o e vá resolvendo por partes. Imagine como você faria para comer uma melancia inteira? Certamente ficaria mais fácil e prudente come-la após fragmentá-la em vários pedaços. Pensar no problema como um todo poderá lhe desestimular; por outro lado, vencendo os pequenos desafios, um após o outro, lhe tornará forte e confiante.

Segundo: visualize a sua vitória, sempre. Não deixe que a sua mente lhe sabote. Imagine todos os detalhes da sua conquista, mesmo com os obstáculos no caminho, se veja conquistando o objetivo. Torne um hábito este exercício; repita todos os dias este pensamento positivo. Imagine a decepção dos seus familiares, amigos e colegas de profissão ao saberem da notícia da sua derrota. Isso também te dará força.

Terceiro: quando estamos sobre forte pressão e estresse o nosso corpo produz uma série de hormônios que nos dão estímulo e energia; o problema é que estas substâncias permanecem ativas durante longo tempo, o que pode impactar no nosso sono, humor e imunidade. Para esta dificuldade, utilizo uma técnica ensinada pelos Seal’s e sempre dá certo; consiste em inspirar por 4 segundos, expire por 4 segundos, repetindo este processo por 4 minutos. Esta não é uma técnica nova, mas gostei desta metodologia; eles a chamam de 4 por 4 por 4. Teste e veja se consegue relaxar nos momentos de tensão. Comigo sempre dá certo.

Quarto: não tente controlar o que acontece no mundo ao seu redor, você não irá conseguir, contudo, você poderá ressignificá-las; se você conversar com algum militar que já passou por algum curso de operações terá a oportunidade de escutar que em algum momento da jornada ele imaginou que os instrutores queriam desliga-lo e que não queriam que ele estivesse ali; pois é, não dá para saber o que os instrutores estão pensando, mas você pode pensar “eu não tô nem aí”; você tem que sobrepor a sua crença de que pode ter sucesso e acabou. Ressignifique e fortaleça a sua crença.

Quinto: o que fazer quando o seu moral está abalado? Você perdeu o emprego, acabou de bater o carro e a sua mulher te largou. E aí? Pense pequeno,  pois assim você poderá comemorar a cada pequena vitória. As pequenas conquistas devem ser comemoradas todos os dias e isso te dará fôlego, até chegar o momento em que você perceberá que venceu as adversidades. Parte por parte, um dia após o outro e você vai perceber que a sua resiliência te levou à vitória.

Sexta e última dica: não adianta fazer tudo isso que listado acima se você se cercar de pessoas com objetivos controversos aos seus; você tem que encontrar a sua tribo, onde os seus anseios façam sentido e você não se sinta desmotivado pela opinião de uma pessoal que não faz idéia da importância da sua conquista. Um grande guerreiro tem amigos de batalha que compartilham dos mesmos princípios.

Como tudo na vida, nada é exato e estamos sujeitos as mais diversas variações, contudo, no contexto em que vivemos só teremos sucessos se formos resilientes – no mínimo – pois o não nos falta e podemos até dizer,  o que mais temos em abundancia neste nosso contexto são os incentivos à mediocridade e a ignorância. Sendo assim, quem não persevera vive como um eterno derrotado.

“Humanos não se incomodam com as dificuldades, na verdade eles prosperam nelas; eles se incomodam com o fato de se sentirem inúteis. A sociedade moderna aperfeiçoou a arte de fazer as pessoas se sentirem inúteis. Chegou a hora de isto acabar.”  

Sebastian Junger


Gostou do Texto? Vejam outros post’s relacionados nos links abaixo. Curta, compartilhe e acesse a nossa página no FACEBOOK-QSP e também no Instagram (@queroserpolicia)

O que vem depois?

Caça e o caçador

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *