Fim da PM, é a solução?

dois policiais falando sobre o fim da pm

Fonte imagem
Por Mineiro
Bacharelando em Direito
Eu fiquei tão estarrecido com a notícia que resolvi escrever minha monografia sobre este tema. Na verdade o tema é direitos humanos, mas sobrou pra ONU também.

 A PM e o seu fim?

A PM está sendo acusada de ter grupos de extermínios e que isso é acobertado pelas corporações.
É fato que o índice de letalidade da PM brasileira é um dos maiores do mundo, mas também é fato que o Brasil é um dos maiores países do mundo em número de homicídios por arma de fogo. Mais arma de fogo rodando pelo país, mais confronto, e segundo níveis de proporcionalidade e necessidade do uso da força, agressão letal é respondido com força legal e letal (para os leigos: é tiro!).
Negar que existam grupos de extermínio é utopia, mas dizer que as corporações acobertam tais condutas, é sensacionalismo. Por ano, quase mil policiais são excluídos das polícias brasileiras. A PM não acoberta execuções. A explicação para o não desenrolar dos casos é muito simples. Segundo números do mapa da violência, apenas cerca de 8% dos homicídios ocorridos no Brasil, são apurados devidamente. As mortes cometidas pelos policiais estão ai neste pequeno número. Não era para ser assim. Concordamos. Violência gera violência, mas se a ONU quer resolver o problema de segurança do país, porque não sugeriu o aumento dos efetivos, a estruturação das corporações, (talvez até o ciclo de polícia unificado) planos de carreira e aumentos de salários? Difícil, muito difícil…

 

Comments

  1. Responder

    • Responder

  2. By Jhana

    Responder

    • Responder

  3. Responder

    • Responder

  4. By Weslley

    Responder

    • Responder

    • By Jhana

      Responder

    • Responder

  5. By Dafne

    Responder

    • Responder

  6. By Weslley

    Responder

  7. By Weslley

    Responder

    • Responder

  8. By Weslley

    Responder

    • Responder

  9. Responder

    • Responder

  10. By Anonymous

    Responder

    • Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *