Brasil: cultura inútil

texto sobre a cultura do brasil

Brasil Independente

Mesmo tendo conseguido sua “independência” em 1822, o Brasil se via pressionado por diversas forças externas. Não se sabe ao certo se por movimentos humanistas inspirados pelo iluminismo ou por escusos e financeiros outros, a Inglaterra coage os tupiniquins a acabar com o tráfico de negros. Em 1831 a Lei Feijó o faz, contudo, tanto no governo (Corte), tanto na câmara dos deputados e mesmo entre a sociedade, a fofoca certa era que isso não se cumpriria e que a lei aprovada era somente para “inglês ver”.

Parece-me que o Brasil já nasce enveredado a produzir leis que não seriam cumpridas. Algo que não é tão novo na história legiferante.

Legado histórico

Dracón, na Atenas antiga (por volta do ano 621 A.C), produz um código de leis tão duros que políticos da época diziam que havia sido escrito com sangue e não com tinta. Resultado: os atenienses aboliram a lei deixando de cumpri-la. Simples assim. Daí a expressão draconiano que usei no último texto. Se não se lembra desse texto – parte final -, clique AQUI (Pra quem pensou que isso estava ligado a personagem de algum filme, errou feio…rs).

Continuo na minha colcha de retalhos…

Lei da levitação

Roda nos zapzaps uma piadinha muito ruim. Diz que um aluno teria conseguido a fórmula da “levitação” com base em leis. Estranho, né? Confira.

Lei 01: Todo gato ao ser jogado para cima, independente da posição, cairá de pé. Essa teoria é tão famosa que na produção do filme “O gato de botas” ela é citada pelo personagem principal. Diz o gato que isso é mentira inventada pelos cães. Vai saber…

Lei 02: Segundo Murph, deus dos pessimistas, (aquele que disse que se uma coisa tem chance de dar errado vai dar errado), se você passar manteiga no biscoito (biscoito ou bolacha? Eis a questão…) ou no pão, todas as vezes que estes alimentos caírem, cairão com a parte da manteiga para baixo. (Também funciona com margarina, geleia, etc…)

Lei 03: Se eu passar manteiga nas costas do gato e jogá-lo para cima, haverá um vetor de força que fará com que ele tenha que cair em pé, lado outro, um segundo vetor de força fará com que o gato tenha que cair de costas. Anulando-se as forças, logo, o gato sairá levitando.

Fundo do poço

(Acho que chegamos ao fundo do poço… Chega a ser pior do que as piadas do pontinho. Falando nisso: o que é um ponto amarelo no alto de um prédio? Um fandangos suicida!!!).

De sério nisso tudo: não se resolve problemas somente com leis. Embora faz tempo que precisamos urgentemente de mudanças no ECA, no Estatuto do Desarmamento, no Código Penal, já estamos próximos a quase 13.500 leis e o país está como está. Não adianta fazer leis para “inglês ver”, ou seja, leis que não serão cumpridas na prática.

Leis que não são cumpridas por serem draconianas. Leis que já partem de princípios errados para chegar numa conclusão mais errada ainda. Precisamos de ações concretas. Interpretações condizentes a realidade que vivemos. Tem que parar de discursos românticos. Enquanto isso não acontecer tem gente jurando que gatos vão sair flutuando por aí…


Gostou do Texto? Curta, compartilhe e acesse a nossa página no FACEBOOK-QSP e também no Instagram (@queroserpolicia).

Comments

  1. By YURI ALEXEI DO CARMO SILVA

    Responder

  2. By Eisler

    Responder

    • By Weslley

      Responder

  3. By Matheus Bernardes da Silva Santos

    Responder

    • By Weslley

      Responder

  4. By Karlos Nascimento

    Responder

    • By Weslley

      Responder

  5. By Aparecida Maceió

    Responder

    • By Weslley

      Responder

  6. By Adnilson

    Responder

    • By Weslley

      Responder

  7. By Sandro

    Responder

    • By Weslley

      Responder

  8. By Leonardo

    Responder

  9. By Wendel

    Responder

  10. By Weslley

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *