Diálogo de polícia Archive

O menor do zignaw

Sem a menor vergonha Hoje vou compartilhar mais uma experiência da área. Esta história já tem um tempo, mas para contá-la eu teria que, antes de tudo, assumir que “tomei um zignaw” (expressão usada na Bahia que quer dizer: fui enganado) de uma criança. Antes de relatar gostaria de saber qual a sua opinião sobre

A rua das oportunidades

Na rua, uma casa de oportunidades Minha avó paterna conta que no dia em que ela se casou e chegou na casa onde moraria com meu avô ela chorou. Havia uma canoa de arroz no meio da sala. Não era tristeza pelo objeto esquisito que não servia de enfeite e estragava a decoração (?). Era

Um país grávido (?)

Minha esposa está grávida. Conheci, então, uma mulher que estava oculta em algum lugar. Surgiram comportamentos e sentimentos que eu desconhecia. Aliás, não é de hoje que eu digo que namorei com Rute e casei com Raquel. Ficou extremamente sensível, esquecida e instável. Sensível, pois até elogios são interpretados de forma a distorcer os sentidos

Educação Financeira

  Deseducação financeira Olá meus nobres. Iniciarei o texto hoje com uma frase que ouvi em um dos primeiros dias de aula na Academia de Polícia: “Se vocês estão aqui por causa do dinheiro, vão embora; se queriam enricar, estão no lugar errado”, (risos). Eu como aluno (ser sem luz), acreditei e até reproduzi essa

Hakuna Matata: o Brasil da Disney

Sem matata Hakuna Matata é uma frase em suaíle, língua falada na África oriental; é uma expressão que tem sentido de “vida longa”, ou “viva”. De maneira mais formal, “hakuna” significa “não há” e “matata” significa “preocupação” ou “problema” (não há preocupações ou problemas). Esta frase ganhou notoriedade graças ao filme O Rei Leão, onde

A gaiola de codornas

A tragédia das codornas Tenho dois irmãos. Um deles é especialista em economia. Sabe tudo da Escola Austríaca de Economia, Curva de Laffer, Libertarianismo, ética utilitária. Só não arruma sua própria cama e nem consegue se manter sozinho sem ajuda do Poderoso Estado, leia-se, os pais. O outro é normal mesmo… Certo dia ambos se

Operações na Caatinga

A Caatinga Aproveitando que estamos no mês de outubro e no ano das eleições que mais puseram os nordestinos em foco; e que também neste mês se comemora o dia do sertanejo (08/10), aproveitarei para falar do nosso amado bioma de Caatinga, um dos piores lugares para se travar um combate policial. A Caatinga, bioma

Parente esquerdista, esposa decidida

Não, não tenho nada contra. O mundo está meio chato. Certo dia, meu professor estava contando que fez a seguinte piada: “Vou liberar vocês (alunos) mais cedo, mas liguem pra casa pra avisar que estão chegando para não ter surpresas…”. Lógico, uma piada mais velha do que andar pra frente e que conota a possibilidade

Odeio abordagem policial: hipocrisia pura

Texto produzido por Wisllas – Guiricema Aviso providencial Pois bem. Vamos lá. Afirmo a todos os caros leitores que isso aqui é “fato venérico”. Este fato já acorreu há algum tempo. Um belo dia, eu transitava por uma de nossas rodovias, quando, do nada, motoristas piscavam farol em minha direção, fazendo sinal que havia, logo a

Do ódio ao amor: vida de polícia    

Texto produzido por Isabela – Ubá Primeira impressão Nunca fui fã de polícia. Sim, coloquei-me em perigo falando disso nesse blog. Mas eu tenho um argumento. Talvez minha antipatia seja pela infância conflituosa morando em um morro que sempre me mostrava mães, esposas e filhas desesperadas quando os “homi” levavam o homem bom da casa.

Os cursados

Cursados x Não cursados Olá meus nobres Hoje relatarei aqui uma conversa que tive com um amigo policial de outro Estado. O cara é um “Pic… das galáxias” no que se refere a operacionalidade e Cursos Operacionais pelo Brasil. Nossa conversa girou em torno de uma temática que é muito polêmica no meio militar: cursados

Capital humano e a sobra social

O que sobrava era da polícia Existia um antigo ditado que se o sujeito não servisse pra nada na vida poderia ser polícia. Assim, diziam que a polícia se constituiu em sobras sociais, migalhas e esmolas. Imóveis não condizentes eram nossas instalações e quartéis, carros não adaptados ao serviço eram as viaturas e os recursos

Chupa essa manga!

O tráfico de mangas Imagina um pai raiz. Daqueles com fazenda e vinte filhos adolescentes. Pois é, convencido pela mística que manga com leite faz mal (se quer saber de onde vem essa história, explico no meu outro blog, AQUI), o patriarca – que vive da produção de leite – resolve proibir seus filhos de se

A sociedade e suas polícias

A sociedade e seus criminosos Nenhuma polícia é melhor ou pior do que a própria sociedade que ela serve. Simplesmente, ela é um reflexo. Foi assim que respondi a pergunta feita por um radialista no último sábado (24/02) sobre a situação atual do Estado do Rio de Janeiro. Não, a frase não é minha, diretamente.

Vidas banalizadas

Vidas secretas, esposa e início da história Outro dia minha turma de soldados fez um churrasco para comemorar 10 anos de ingresso na corporação. Minha esposa foi. Eu não gosto de levar minha esposa. Ela sempre descobre algo que não deveria. Uma policial que trabalha comigo, pensando que estaria me ajudando, chegou perto dela e