Lilita: cão de guarda

post sobre a cadela lilita cão de guarda

Você conhece alguma Lilita ou Lilito?

Eu cresci sendo ensinado que o cachorro tem uma função social: é guardador da casa e deve dar “sinal” ao ver um estranho.

Quando casei ganhei várias coisas. Veio no kit esposa. Tem sogra, cunhada e uma cachorra (cadela).

Só que este querido animal não cumpre sua função social. Detalhe: ela não late. É mais fácil fazer a Lilita (nome que tem um porquê próprio e merece uma história só pra ela) miar do que fazer ela latir. Na verdade, ela late de vez em quando pra não dizer de vez em nunca, sempre com quem não precisa.

Deitado no seu canto, sem latir, só comendo e dormindo, Lilita foi conseguindo seu espaço. A essa altura, os amantes do universo canino e a sociedade protetora dos animais já devem estar querendo me denunciar na ONU, se for possível. Diriam: quanta ignorância pensar que um pobre cãozinho só serve para latir! Isso seria trabalho animal escravo. Quase maus-tratos! Prendam esse facínora!

Ok, já entendi. Ela é da família. Quer goste, quer não.

Lilita é um funcionário público. Ganhou estabilidade e ninguém, salvo a morte, a tira de dentro do seu espaço reservado. Ela não produz (e no caso dela, não precisa), só come, dorme, engorda e ocupa espaço. Mas lá está ela e ninguém a questiona.

Assim se comporta parte da Segurança Pública e alguns outros setores do funcionalismo público (entra aqui o político). É muita comissão, estudos, leis frouxas, funcionários fantasmas ou que nadam produzem, que fazem o mesmo que Lilita, come (os investimentos públicos), engorda (incha a máquina pública) e ocupa espaço (de pessoas que querem realmente servir). Enquanto isso, a segurança fica tão bem quanto a segurança proporcionada pela minha cachorra. A placa de cão bravo lá na garagem nos dá a dimensão do quanto vivemos de propaganda. Não seria difícil um “ladrão” ser flagrado pelas câmeras de segurança da minha casa com uma televisão debaixo de um braço e a Lilita, abanando seu rabo, debaixo do outro. Não, isso não ocorre pois ela não tem valor de mercado. É vira-lata assumida.

Lógico que se ainda gozamos de alguma segurança é porque temos muitos valentes defendendo a casa e, diga-se de passagem, os bons no funcionarismo são a maioria.

Enquanto escrevo este texto a integrante da casa olha pra mim. Totalmente vesga. Ela, ainda, alegra a casa. Esses outros Lilitos que estão por aí, nem pra isso servem!


Gostou do Texto? Curta, compartilhe e acesse a nossa página no FACEBOOK-QSP e também no Instagram (@queroserpolicia)

Comments

  1. By Wendel

    Responder

  2. By Luíza Helena

    Responder

    • By Weslley

      Responder

  3. By Aparecida Maceió

    Responder

    • By Weslley

      Responder

  4. By Marcos

    Responder

    • By Weslley

      Responder

  5. By Carla

    Responder

    • By weslley

      Responder

  6. By Valdeci Faustino

    Responder

    • By Weslley

      Responder

  7. By Leonardo

    Responder

    • By Weslley

      Responder

  8. By Matheus Bernardes da Silva Santos

    Responder

    • By Matheus Bernardes da Silva Santos

      Responder

    • By Weslley

      Responder

  9. By Francisco Carlos

    Responder

    • By Weslley

      Responder

  10. By Jane

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *